Latest Entries »

Seminário Integrador 2013

O SEMINÁRIO INTEGRADOR dos mestrandos da Turma 2012 do Mestrado em Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável do Instituto de Pesquisas Ecológicas – IPÊ e Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade ocorreu na Pousada La Dolce Vita no litoral sul de Ilhéus, dias 17 e 18 de setembro.

Nesse momento, os pesquisadores e os professores interagem em uma grande rodada de conversas sobre todos os projetos de pesquisa. É uma oportunidade extraordinária para discutir objetivos e metodologia de cada projeto, interagindo todos, pesquisadores e orientadores. No time de doutores, alguns dos maiores especialistas em atuação no país.

Contamos com a presença de José Eli Da Veiga, Thiago Cardoso, Eduardo Ditt, Christoph Knogge, Cristiana Martins, Suzana Pádua,  Sonia Seger, Geovane  Nascimento, Alexandre Uezu, Angela Pellin, Roberto Palmieri, Karin Ingrid Rettl, Oscar Sarcinelli, Luis Fernando Guedes, Zysman Neiman, Andrea Peçanha, Maria das Graças, Marlene Tabanez, , Richard Alves, Rui  Rocha, Laury Cullen Jr e Cláudio Pádua, nosso reitor e o empreendedor dessa jornada científica sul baiana.

marcelo barreto bruno tiago pitombo alexandre ipe ana paula ipe suzana padua suzana e krihsna sorrizos rui rocha marcelo barreto1 mauricio paim e bruno da mata Roberto Palmiere concentração descontração karin khistoph Claudiana Figueredo do Sebrae pesquisando Cidades Cristivas e Suzana Pádua do IPÊ tiago mecenas Tiagno mauricio painBarbara - Movimentos Populares kristoph

Anúncios

ipe escas arapyau fibria

O SEMINÁRIO  É MUITO ESPERADO COMO MAIS UM GRANDE MOMENTO DO MESTRADO. TODOS JUNTOS: PESQUISADORES E ORIENTADORES, TROCANDO IDEIAS IRRESTRITAS, NESSE VERDADEIRO CALDEIRÃO DE CONHECIMENTO.

Os Pesquisadores (Lideranças Sul da Bahia):

Ana Paula de Paula Cidade Coelho ( Instituto Federal Baiano)

Rui Dias Trombeta (Engenheiro de Pesca)

Mauricio Pain (Organização de Conservação da Terra – OCT (Baixo Sul).

Bruno Melo da Matta (Organização de Conservação da Terra – OCT (Baixo Sul).

Bárbara de Carvalho Vasconcelos (Instituto Floresta Viva/Arapyau)

Claudiana Oliveira Campos Figueiredo (SEBRAE)

Krishna Cesario Alvim de Castro (Associação Cultural de Serra Grande – Prefeitura Municipal de Itacaré)

Gustavo Péres de Aguiar (Secretaria de Educação de Itacaré).

Leonardo Brasil de Matos Nunes (Instituto Chico Mendes)

Tiago Tombini da Silveira (Movimento Mecenas da Vida)

Thiago Guedes Viana (Instituto Cabruca)

Marcelo Barreto: (Gestor do Parque Estadual Serra do Conduru)

Paulo Sérgio Passos Paiva (Jornalista independente)

castilho_aereas_ilheus2b541

Personalidades dos Comitês:

Christoph KnoggeSonia SegerGeovane  NascimentoAlexandre UezuEduardo DittCristiana MartinsAngela PellinRoberto PalmieriMaria José  ZakiaKarin Ingrid RettlOscar SarcinelliCristiana  MartinsSuzana PaduaLuis Fernando GuedesZysman NeimanAndrea PeçanhaAngela PellinClaudio  PaduaMaria das GraçasMarlene TabanezJosé Eli Da VeigaRichard Alves,Thiago CardosoRui  Rocha e Laury Cullen Jr.

Inscrições Turma 4

Atenção! As inscrições para o Mestrado Profissional da ESCAS no Sul da Bahia foram prorrogadas. Oportunidade única para profissionais da região. Porque, sim, nós queremos transformar o mundo. Se você é da nossa turma, venha estudar no IPÊ! Abaixo, foto de uma de nossas turmas!

ipe escas arapyau fibria

Escas Fibria

ESCAS lança edital para Fundo de Pesquisa a alunos e egressos da turma Bahia. Confira o edital. Prazo limite  é 15 de agosto. 

A ESCAS lançou em encontro, no dia 07 de março, um edital para Fundo  de Pesquisa a alunos e egressos do Mestrado Profissional no Sul da Bahia.

O Fundo de Pesquisa faz parte do Programa de Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável – Turmas extra campus (Bahia), parceria entre o IPÊ, Instituto Arapyaú e FIBRIA com a finalidade apoiar a capacitação de profissionais atuantes em conservação e sustentabilidade no sul e extremo sul da
Considerando que a pesquisa é uma forma de produção e disseminação de conhecimentos, é ferramenta fundamental na formação.

Este Fundo de Pesquisa tem por finalidade financiar projetos que contemplem parte da pesquisa e publicação dos Produtos Finais dos estudantes e egressos da ESCAS/Bahia, incentivando e promovendo a pesquisa aplicada e com compromisso socioambiental.de um mestre Bahia.

banner_escas

 

IPEMestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável

Curso homologado pelo CNE( Portaria nº1077 de 31/08/2012).

Alinhados com o compromisso de preservar os recursos socioambientais brasileiros, o IPÊ, o Instituto Arapyaú e a Natura se uniram para a criação deste projeto inovador: a ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade.

Com sede em Nazaré Paulista (São Paulo), a Escola oferece o Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável. O curso é voltado aos profissionais de empresas privadas, governo e terceiro setor.

O programa de mestrado profissional é um curso de pós-graduação stricto-sensu, aprovado e reconhecido pela CAPES, e que fornece ao aluno o diploma de Mestre. Possui um conteúdo elaborado para trazer a prática e a teoria conjuntamente, capacitando para uma atuação profissional transformadora.

Em 2009, O Instituto Arapyaú se juntou á esta iniciativa, e criou-se uma Turma extra-campus em Serra Grande – BA.  Em 2010 a Fibria se juntou como parceira e lançamos a Segunda Turma.

Agora em 2013, novamente com  a parceria do Instituto Arapyaú e Fibria, estão abertas as inscrições para a Quarta Turma Extra-Campus em Serra Grande – BA. 

As inscrições vão de 03 de Junho a 08 de Julho de 2013.

Veja abaixo como será o processo seletivo e que documentos devem ser enviados. 

Pré-requisito para seleção.

Nesta turma específica para a Bahia todos os candidatos devem ser profissionais atuantes na região sul e extremo sul da Bahia.

INSCRIÇÕES E PROCESSO SELETIVO

Os candidatos devem preencher a ficha de inscrição no site (www.escas.org.br) e pagar uma taxa de R$ 100,00, através de depósito identificado no banco Bradesco Agência 712-9 C.C. 7959-6 em nome de Instituto de Pesquisas Ecológicas até o dia 8 de Julho de 2013.

VAGAS

O Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável oferecerá para o Curso modular (extra campus): até 12 vagas para o ano letivo de 2013.

A seleção constará de três etapas: avaliação de documentos, prova de redação e entrevistas presenciais com um comitê de professores.

– Primeira etapa de corte: avaliação dos documentos (somente alunos com média igual ou superior a sete serão chamados para as provas e entrevistas) – veja critérios de nota em anexo.

Nos dias 23 ocorrerá a prova e nos dias 24 e 25 de Julho ocorrerão as entrevistas presenciais, onde cada candidato será arguido por um Comitê de Seleção formado por representantes dos parceiros (IPÊ/Instituto Arapyaú e Fibria).  Cada entrevista terá a duração de no máximo uma hora, e serão agendadas após a primeira fase da seleção.

As provas e entrevistas serão realizadas em Serra Grande – município de Uruçuca, na Associação de Produtores Rurais.

 

Os candidatos devem enviar os seguintes documentos para a Coordenação até o dia 8 de julho/2013:

– Currículo (constando endereço atual e contatos telefônicos e de e-mail) – no formato Lattes.

– Carta de intenções (apresentando os motivos do candidato para realizar este mestrado)

– 1 Carta de recomendação

ENDEREÇO PARA ENVIO DO MATERIAL – Aos cuidados da Profa. Cristiana Martins e-mail: cristi@ipe.org.br com cópia para mestrado@ipe.org.br (Somente serão aceitos materiais enviados por e-mail).

                                                                              Critérios avaliados na documentação

Curriculum Vitae:

Publicação (livro, periódicos, divulgação)
Participação em eventos com temas ambientais
Experiências didáticas: palestras e cursos
Trabalhos com temas ambientais (tempo)
Trabalho voluntário
Liderança de grupos de trabalho (tempo)
Línguas

Carta de intenções:

Perspectivas futuras
Aplicabilidade dos conhecimentos
Pró-atividade
Motivação
Propensão ao trabalho em grupo
Empreendedorismo
Iniciativa
Espírito crítico
Objetividade/clareza
Interesse em interdisciplinaridade

Carta de recomendação:

Dedicação
Demonstração de conhecimento do candidato
Relato do histórico do candidato (qualidade)
Justificativa de aplicação do aprendizado
Empreendedorismo
Iniciativa
Personalização da carta
Ser disciplinado
Espírito crítico
Criatividade
Propensão ao trabalho em grupo
Liderança
Perspectivas futuras

** A publicação dos candidatos selecionados será cinco dias após o término das entrevistas, devendo os candidatos se organizar para iniciar as aulas na semana de 26 de Agosto/2013.

Maiores informações sobre o conteúdo programático em www.escas.org.br (Curso extra-campus Bahia)

 LOGÍSTICA

O curso é subsidiado parcialmente pelos parceiros, tendo o participante que arcar com as seguintes despesas:

– Transporte ao local do curso (Serra Grande, município de Uruçuca);

– Hospedagem por uma semana/mês;

– Pesquisa e impressão do trabalho de conclusão;

– Comunicação durante as semanas de curso (internet e telefone). Não há internet na sala de aula.

– Despesas com jantar na semana do curso.

As aulas serão realizadas na Associação de Produtores Rurais de Serra Grande, uma semana por mês (datas agendadas após o processo seletivo).  Este calendário será apresentado aos candidatos aprovados na seleção.

Cada aluno selecionado assinará um contrato com o programa, se comprometendo a reembolsar o investimento feito pelos parceiros caso não consiga finalizar o curso no prazo de 24 meses (estipulado pelo Regimento do Curso).

Nesta turma, os parceiros selecionaram alguns temas prioritários para o desenvolvimento dos Trabalhos de Conclusão:

– Cadeias Produtivas/Novos negócios sustentáveis;

– Educação na Sustentabilidade;

– Políticas Públicas de conservação e desenvolvimento

Objetivo do Curso

O curso de Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável tem como objetivos:

  • Preparar líderes nos campos da Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável;
  • Preparar profissionais que queiram usar as ferramentas acadêmicas para uma melhor tomada de decisão na prática profissional e nos demais desafios de sua profissão, mas não necessariamente se tornarem acadêmicos;
  • Preparar profissionais capazes de criar e disseminar modelos inovadores de conservação da biodiversidade e de desenvolvimento sustentável.

A quem se destina

Este curso é indicado para profissionais que desejem aprofundar sua capacitação nas áreas do conhecimento socioambiental sem seguir uma carreira acadêmica, embora o curso também os capacite para esta tarefa.

 

  • Profissionais de empresas, governo ou do terceiro setor que tenham que lidar com biodiversidade e sustentabilidade em suas atividades profissionais;

Diferenciais do Curso

Projeto Pedagógico

Este mestrado profissional surge para se tornar uma ferramenta na formação de profissionais da área socioambiental. Seu objetivo é a formação de líderes, e o conteúdo segue a abordagem do ser/saber/fazer, através da incorporação do método científico e da gestão e aplicação de conhecimentos adquiridos e compartilhados, contribuindo desta forma para uma melhor tomada de decisão no cotidiano profissional.

O que é um mestrado profissional?

“Um mestrado profissional é um novo modelo de operacionalização da formação voltada para a gestão social, a implementação de tecnologias e para o setor público, o terceiro setor e a produção industrial”. De vocação nitidamente interdisciplinar, o MP deve contribuir para integrar saberes sem concentração disciplinar, manifestando grande sensibilidade social, cultural e tecnológica. Mantém estreita relação com a academia, mas sempre em sintonia com a demanda externa à academia. 

Uma distinção entre o Mestrado Acadêmico e o Mestrado Profissional é que o primeiro forma pesquisadores, que deverão, por conseguinte – tanto enquanto cursam o mestrado quanto depois – fazer pesquisa, enquanto o segundo forma profissionais, que deverão – no futuro – saber usar, reconhecer e localizar a pesquisa. Para tanto, é conveniente que façam pesquisa durante o MP, mas sem que esta seja a sua vocação ulterior. ”( Marcuschi (2005)

Corpo Docente

O corpo docente da ESCAS é formado por pesquisadores-doutores do IPÊ e colaboradores externos, de comprovada experiência em sua área de atuação.  A mescla de profissionais acadêmicos e inseridos no mercado de trabalho traz um referencial realista ao programa.

Estrutura e Duração do Curso

O programa tem a duração de quatro semestres, distribuídos em cinco semanas cada. As disciplinas se concentram no primeiro ano do curso, com aulas condensadas oferecidas uma semana por mês.

Cada módulo semanal conta com 40 horas mensais de atividades, entre aulas teóricas e atividades práticas – exercícios e discussões.

O programa está estruturado de forma a oferecer um embasamento teórico e prático sólido e divide-se da seguinte forma:

Áreas de Concentração

Conservação da Biodiversidade

Desenvolvimento Sustentável

Linhas de pesquisa

Conservação e gestão sustentável da Biodiversidade;

Meio Ambiente, Sociedade e Sustentabilidade.

Disciplinas fundamentais (420h): Compõem o currículo obrigatório do programa, composto por um conjunto de cinco disciplinas comuns a ambas as áreas de concentração, garantindo assim uma formação uniforme aos alunos.

Trabalho de conclusão (180h): Desenvolvido sob supervisão de um comitê de orientação composto de três membros, sendo um o coordenador (professor interno ao programa). Consiste em um trabalho aplicado, no qual o aluno deverá demonstrar capacidade de sistematização da literatura existente e da aplicação de métodos e técnicas utilizadas na área socioambiental.

O título de mestre é concedido após a aprovação da defesa pública do aluno.

Grade curricular

Disciplinas fundamentais

  • Metodologia Científica
  • Tópicos em Ecologia
  • Educação ambiental, ética e aspectos humanos ligados à sustentabilidade.
  • Seminários
  • Biologia da Conservação e Resolução de Desafios

Temas de Seminários (sujeito a variações de acordo com o perfil da turma) 

Análise de Viabilidade Populacional

Avaliação de impactos ambientais

Captação de recursos e estratégias de conservação internacionais

Clima e políticas em mudanças climáticas

Conservação e Negócios

Ecologia da paisagem

Economia Ecológica

Energia e Sustentabilidade

Etnobiologia

Genética da Conservação

Gestão de organizações do Terceiro Setor

Gestão de Unidades de Conservação

Legislação Ambiental

Manejo de populações

Mecanismos Financeiros para a Conservação da Biodiversidade

Mercado de carbono

Parcerias intersetoriais

Planejamento Territorial Sustentável

Políticas Públicas e Conflitos SocioAmbientais

Seleção de áreas prioritárias para conservação

Serviços Ecossistêmicos

Sustentabilidade

Turismo com base comunitária

Workshop de Economia Criativa

Workshop de Redação

glauco-ipe

O contato com esse jovem professor da USP é mais uma benção nesse mestrado. Mais que um professor que sabe pescar seus alunos, Glauco é um Showman da ciência e um perseguidor de cientistas com boas HIPÓTESES. O homem mexeu com a turma, questionando os projetos de pesquisa, e colaborando com todos eles.

Com a ajuda dessa turma experiente de doutores do saber, a turma III vai chegando com um  conjunto de pesquisas de alto padrão em várias áreas estratégicas para o desenvolvimento sustentável, em especial os territórios baianos do Baixo sul, Litoral sul,  Costa do Descobrimento e Extremo sul da Bahia.

Muitíssimo obrigado, Doutor Glauco, e até o próximo encontro com as ideias.

mestrado-serra-grande

Foco Desfoco

mauricio painkhrisnamestrado ipe bahia

Thiago Cardoso antropologia

Esse é o cara. Pense o homem, a antropologia, desfaça conceitos, repense as suas convicções. Nessa mescla de conhecimentos somos direcionados a um mesmo canal de compreensão da conservação de forma ampla, mas muito objetiva. Seminários que nos fazem repensar o que é ciência, o que é a vida e o que somos nós.

Mais um seminário extraordinário. Sempre com o mesmo perfil: Alguém que dedica a vida a projetos de conservação, que abraçaram a causa, e se embrenham pelo Brasil para desenvolver projetos de conservação em parceria com as comunidades. Nosso alemão brasileiro, agora também baiano, Christoph, também traduz isso aí.

serra grande educação Christoph Knogge Christoph Knogge ecologiaChristoph Knogge ipê


Christoph Knogge ilheusChristoph Knogge mestrado profissional
Christoph Knogge mestrado escas
mestrado bahia escas ipe

mico-leao-1b

Mico-leão preto. Foto: arquivo IPÊ-Rolex

Falar do Instituto de Pesquisas Ecológicas é refletir sobre a mobilização, articulação e empreendedorismo da sociedade civil para o enfrentamento dos desafios contemporâneos da conservação ambiental com otimismo, persistência e inovação.

Mas vamos deixar que a própria Denise Pádua conte essa história de luz no caminho da natureza …

Corações, ideias e braços para proteger o mico-leão preto

Leia a Íntegra em O ECO

O Programa Integrado de Conservação do Mico-leão Preto serviu como uma escola que deu origem ao IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas, uma ONG que completa agora em março sua maioridade – 21 anos de existência. São mais de 40 projetos sendo desenvolvidos em diversas regiões do Brasil, mas todos com um gostinho das lições aprendidas com o mico-leão preto.

O primeiro movimento para salvar a espécie da extinção começou com o projeto de doutorado de Claudio Padua, meu marido. Sua ideia era proteger o mico-leão preto através de estudos científicos que levassem à integração das populações que se achavam isoladas em fragmentos florestais, criados pelo desmatamento dos últimos 50 anos no oeste do estado de São Paulo, região conhecida como Pontal do Paranapanema. Claudio pensava que se conhecesse bem a espécie, como vive e se multiplica, cumpriria sua missão. Mas ele acabou indo além: a fragmentação do habitat levou-o a ousar e propor translocações de indivíduos e grupos de micos de um fragmento para outro, de modo a evitar consanguinidade.

A Monalisa: Nossa canina companhia

 

 

amigo-dos-animais monalisa-animal em sala de aula

images

Super aprendizado com o seminário de Palmiere da IMAFLORA – Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola. Currículo Lattes

A IMAFLORA é mais um caso de sucesso no terceiro setor nessa trilha da conservação. Como o IPÊ, abre caminhos e avança no entendimento amplo da conservação da biodiversidade. Profissionalismo, e criatividade. Obrigado Palmiere!

O entendimento do que é a Amazônia fica mais claro, e menos abstrato, a cada dia no decorrer seminários do mestrado, através da experiência e empenho dos professores em ajudar essa região.

AQUI: Lei do Sistema de Unidades de Conservação Estadual da Amazônia

roberto-palmieriroberto-palmieri-ipe

roberto-ipê-serra-grande

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=_eHuf97soC4&w=420&h=315]

Visita da Comunidade

Recebemos a visita de Dona Regina, e de outros moradores da Vila de Serra Grande em nosso mestrado. As visitas foram recepcionadas por Seu Paraíso, e as mestrandas Bárbara Vasconcelos e Krishna.

serra-itacare-comunidade

.itacare-barbara-vasconcelos
serra grande-comunidade

andrea-peçanha-ipê-escas

andrea-peçanha-ipê

andrea-peçanha-serra grande

andrea-peçanha-travassos

ipe-escas-bahia

Karin Rettl

PRÁXI – Consultoria Socioambiental

Formação:

FGV – Fundação Getúlio Vargas: MBA – Gestão de Projetos Estratégicos, FIA/USP: MBA – Empreendedorismo Social, SENAC: Gestão Ambiental, Pós- Graduação.

EMPRESAS: Investimento Social e Responsabilidade Social;

ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR: O planejamento e organização de cadeias produtivas sustentáveis.

karin-rettl

karin-ipe

cafezinho-ipe-escas-bahia

E o sinal de culular?

marcelo-barreto-sinal-celular marcelo-barreto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E o sinal do celular? Se o mestrado fosse antes de 1980, o cenário das comunicações seria outro. Como estamos no século XXI, dependemos de comunicação mais rápida. O problema é que a democratização da internet prometida pelo governo, ainda não chegou em Serra Grande. O governador esteve aqui na vila recentemente e prometeu que vai chegar. Se chegar mesmo, as próximas turmas terão sinal. Claro, que o celular é para ser usado nas horas vagas. Né isso mesmo Thiago? 

tiago-mecenatiago cabruca

claudio-padua-bahia

Uma aula diferente, aberta e participativa, uma conversa firme e sincera com cada mestrando para colher bons frutos dessa parceria: Bons produtos de pesquisa.

claudio padua ipe serra grande escas

Administrador de empresas e biólogo. Mestre em estudos latino-americanos e Doutor em Ecologia pela Universidade da Flórida, em Gainesville, EUA. É professor aposentado da Universidade de Brasília.  Reitor da Escola Superior de Conservação e Sustentabilidade e Vice-Presidente do IPÊ, Claudio é também pesquisador associado sênior do Centro de Estudos Ambientais e de Conservação da Columbia University e diretor internacional de conservação do WildlifeTrust Alliance, ambos em Nova Iorque (EUA). Membro do conselho de sustentabilidade da Aracruz Celulose e Papel S/A e Danone e conselheiro do Funbio – Fundo Brasileiro para Biodiversidade e Biofílica S.A. Representa o Brasil no IAG do Programa Piloto do G7. Em 2003, junto com sua esposa Suzana Pádua foi considerado pela revista Time, Herói do Planeta por sua atuação na conservação da biodiversidade.  Entre 1997 e 2007 ganhou seis prêmios conservacionistas, sendo três nacionais e três internacionais. Publicou dois livros e mais de 30 trabalhos em revistas científicas e de divulgação nacionais e internacionais.

Cristiana Saddy MartinsCristiana, ou Cris é a nossa companheira do dia a dia em nossa grande academia “informal”. É ela quem coordena a turma Extra-Campus Bahia, e faz isso cheia de entusiasmo, e orientando o barco para o seu destino.

Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, especialista em Primatologia pela UNB e em Wildlife Management pelo Smithsonian Institution. Mestre em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas e Doutora em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas. Coordena o Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável, na Escas. Atuou na coordenação do programa de conservação do mico-leão preto do IPÊ por mais de dez anos. Tem experiência na área de Ecologia Animal, com ênfase em manejo de fauna, atuando principalmente nos seguintes temas: primatas, conservação, comportamento e manejo de espécies ameaçadas.

Currículo Lattes

metodologia-cientifica-ipe

Alexandre tem sido o parceiro de toda hora. De cara, ele nos ensina a se manter “de boa”. Gosta de pesquisar, de estudar e de ensinar. Ensina metodologias, e aplicativos de estatísticas que fazem alguns se sentirem intelectualmente infantis, como o tal do “R”.

Mas no final ficamos felizes pela concentração adicional, já que tantos  cálculos e fórmulas falam da vida das espécies, e de que forma podemos compreendê-las, e contribuir com a conservação de sua existência.

Alexandre é um “pé no chão”, nos trás de volta a precisão científica, depois de longas viagens filosóficas. Um colega brincou: Ele parece um Japonês mas é paulista, tem a calma de um budista e uma capacidade  inacreditável de alterar ao mínimo, o volume da sua voz. Está muito bom!

“Biólogo, Mestre e Doutor em Ecologia pela Universidade de São Paulo. Pesquisador do IPÊ em Ecologia de Paisagem, com enfoque na fragmentação do habitat, em que busca entender como os organismos, tais como a avifauna, percebem as alterações impostas pelo homem, a fim de propor manejos e orientar planejamentos das paisagens que garantam a viabilidade das espécies mais sensíveis e ameaçadas. Os resultados dos estudos vêm sendo publicados em periódicos internacionais e utilizados para definir ações práticas para a conservação, sobretudo na Mata Atlântica”.

alexandre-metodologia-ipe

Link para o currículo no CNPQ (AQUI)

victor-ranieriGraduado em Engenharia Agronômica pela Universidade de São Paulo (1994), mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental pela Universidade de São Paulo (2000) e doutorado em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo (2004). Atualmente é professor doutor da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Engenharia Ambiental, com ênfase em Instrumentos de Política Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: áreas naturais especialmente protegidas, avaliação de impacto ambiental, zoneamento ambiental e licenciamento ambiental.

Currículo Lattes

Palestra Proferida no Workshop sobre avaliação integrada de sustentabilidade no contexto do Etanol

victor-raniere-bahia victor-raniere-ipe-serra-grande victor-raniere-slides

victor.ipe

DSC04302Não tem como não se envolver profundamente com o trabalho e experiência de Patricia. Uma pesquisadora que veio nos entregar uma historia de luta, persistência, competência, e “jogo de cintura” para conseguir manter vivos, os programas para a proteção de espécies ameaçadas de extinção. Excelentes informações vem de sua experiência, também um grande exemplo de amor a causa.

“Pesquisadora do Instituto de Pesquisas Ecologicas – IPÊ, atuando nas áreas de Ecológia de Espécies e Paisagens e Medicna da Conservação. Engenheira Florestal, formada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), Universidade de São Paulo (USP), Mestre em Ecologia, Conservação e Manejo de Vida Silvestre pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e Doutora pelo Programa de Biodiversity Management do Durrell Institute for Conservation and Ecology (DICE), Kent University, Inglaterra. Desenvolve programas de pesquisa e conservação da anta brasileira na Mata Atlântica e Pantanal. É também Presidente do IUCN/SSC Tapir Specialist Group (CBSG) desde 2000. Participa da Rede Brasileira do IUCN/SSC

Patricia-medici-ipêConservation Breeding Specialist Group (CBSG) desde 2004 como facilitadora, e é membro do Steering Committee da Comissão de Sobrevivência de Espécies (Species Survival Commission) da IUCN International Union for Conservation of Nature. Recebeu quatro prêmios internacionais incluindo o Harry Messel Conservation Leadership Award do Species Survival Commission (SSC) em 2004, Golden Ark Award do Golden Ark Foundation na Holanda em 2008, Whitley Award do Whitley Fund for Nature (WFN) no Reino Unido, também em 2008, e o DICE Research Prize em 2011″.

Currículo Lattes  EBGE

Claudiana Oliveira Campus Figueredo (à esquerda)

Representante do SEBRAE no Sul da Bahia.

Currículo Lattes 

Krishna Cesario Alvim de Castro (à direita)

Psícóloga de formação. Trabalha no atendimento social do município de Uruçuca, e atua na área de educação e cultura como voluntária da  Escola Dendê da Serra, e da Associação Cultural de Serra Grande, que realiza, dentre outras atibidades, o Sarau de Serra Grande, que acontece ntodos os meses na praça principal de Serra Grande.

Currículo Lattes

Bruno Melo da Matta (à esquerda) – possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008) . Atualmente é Coordenador de Serviços Ambientais do Organização de Conservação de Terras do Baixo Sul da Bahia, Especialista da Bureau Veritas Sociedade Classificadora e Certificadora e Consultor Autônomo da Consultor Autônomo.

Currículo Lattes

Site OCT

Marcelo Barreto (à direita)

Currículo Lattes

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (1993). Atualmente é especialista em meio ambiente do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. É gestor do Parque Estadual da Serra do Conduru, maior parque estadual destinado a proteção da Mata Atlântica, abrangendo 9.245 ha nos municípios de Ilhéus, Uruçuca e Itacaré.

Rui Dias Trombeta (à esquerda)

Site: Instituto Ambiental Brasil Sustentável

Projeto aposta em celulares 3G e aplicativos para incrementar renda de pescadores

Índios e pescadores nas redes wireless 3G

Currículo Lattes

Possui graduação em Engenharia de Pesca pela UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná, no ano de 2008 e especialização em Piscicultura pela Universidade Federal de Lavras. Atualmente é sócio-consultor do Instituto Ambiental Brasil Sustentável e administrador da Ecofishery Projetos. Dentre os trabalhos executados destacam-se: Coordenador local do Programa de Desenvolvimento Sustentável da Maricultura em Itarema-CE , responsável técnico do projeto "Desenvolvimento de Alternativas Sustentáveis à Pesca Artesanal em Itarema/CE", participou da equipe técnica dos projetos: "Avaliação, descrição e orientação nos procedimentos de licenciamento ambiental para a ostreicultura no estado do Pará", Projeto – Piloto de Industrialização do Caranguejo Uça , "Construção e Planejamento do Plano de Ação para a Atividade de Extração do Caranguejo-Uça no Estado do Pará" e outros. Possui experiência em planejamento, execução e coordenação de projetos na área de aquicultura e pesca.

Bárbara de Carvalho Vasconcelos (à direita)

Currículo Lattes

possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Santa Cruz (2008) . Atualmente é Projetos de desenvolvimento comunitário do Instituto Floresta Viva e Educadora de Jovens e adultos da Prefeitura Municipal de Itacaré. Tem experiência na área de Agronomia , com ênfase em Educação Ambiental.

Tiago Tombine da Silveira (à esquerda)

Currículo Lattes:

Site Mecenas da Vida

Paulo Sérgio Passos Paiva (à direita)

Jornalista ambiental e produtor cinematográfico.

Currículo Lattes

Site “Acorda Meu Povo 

Empresa: Eco Estúdio – Youtube LINK 

thiago-cabucaThiago Guedes Viana

Currículo Lattes

Site: Instituto Cabruca

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Santa Cruz, é Especialista em Gestão e Manejo Ambiental em Sistemas Agroflorestais pela Universidade Federal de Lavras. Tem experiência na área de Agronomia, atua no terceiro setor, executa trabalhos em assentamentos de reforma agrária, comunidades de agricultores familiares tradicionais, quilombolas e tribos indígenas. Trabalha com foco na agroecologia, manejo, conservação e usos múltiplos do sistema agroflorestal cacau-cabruca; processamento do cacau, política pública. Atualmente é Secretário Executivo do Instituto Cabruca.

leonardo-brasilLeonardo Nunes 

Currículo Lattes

Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia com ênfase em marcadores moleculares e Educação Ambiental. Mestre em Ciências Genômicas e Biotecnologia pela Universidade Católica de Brasília com ênfase em diagnóstico molecular, clonagem e sequenciamento de Potivirus. Foi professor adjunto da Universidade Vale do Rio Doce – UNIVALE – MG, atuou na área de Genética, Biologia Molecular e Biotecnologia, com ênfase em Citogenética Ambiental. Atuou como professor de Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro-Oeste – UNIDESC – GO, na área de genética. Foi docente da União Educacional do Planalto Central – UNIPLAC – DF, atuando na área de Genética e Biologia Molecular do e do Colégio CEUB – DF. Trabalhou com genotipagem por meio de marcadores SSR no Laboratório de Biotecnologia da Embrapa Arroz e Feijão – GO como Analista "A". Atualmente ocupa o mesmo cargo na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia no laboratório de interação Planta -Praga.

aluno-itacare-ipe

Gustavo Péres de Aguiar

Currículo Lattes

Biólogo graduado pelo Centro Universitário de Brasília com experiência em Ecologia e Conservação. Professor licenciado em Biologia e articulador de projetos na área de Educação Ambiental

 aaaaasalvandoAnapaula de Paula Cidade Coelho  

Currículo Lattes

Site: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Professora do Instituto Federal Baiano Campus Uruçuca. Engenheira Agrônoma (UESB), Especialista em Meio Ambiente e Desenvolvimento (UESB) e Mestre em agronomia: com área de concentração em fitotecnia (UESB). Mestranda em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável (IPÊ) – Turma 2012

pain

Maurício Carneiro Paim (Foto provisória)

Currículo Lattes

possui graduação em Direito pela Universidade Católica do Salvador (1999) , especialização em Direito Público pela Institutos de Educação Superior (2006) , especialização em Direitos Difusos e Coletivos pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2001) e especialização em Direito Ambiental pela Faculdade de Tecnologia e Ciências de Salvador (2004) . Atualmente é Professor Horista da Faculdade de Tecnologia e Ciências de Salvador, Assessor jurídico do Organização de Conservação de Terras do Baixo Sul da Bahia e Consultor jurídico do Fundação Odebrecht. Tem experiência na área de Direito , com ênfase em Direito Público.

Eduardo Paraíso é o responsável pela logística do IPÊ em Serra Grande. Sempre se antecipando aos fatos, Seu Paraíso é o responsável por toda a produção. Tudo funciona direitinho, graças a ele.

eduardo-ipe paraiso

arnoud

O extraordinário professor Arnaud Desbiez encantou aos participantes da Turma III com sua experiência em manejo de conservação da fauna silvestre, e com as técnicas utilizadas para facilitação de processos socioambientais.

Possui graduação em Zoologia – Mcgill University (1998), mestrado em Natural Resource Management – Cranfield University Silsoe (2002) e doutorado em Biodiveristy Management – University of Kent at Canterbury (2007). Atualmente é coordenador regional – Royal Zoological Society of Scotland, coordendor do Conservation Breeding Specialist Group no Brasil, e professor da Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade.

Currículo Lattes

arnaud-ipe-escas

Compartilhando com a incrível experiência de Arnaud  Desbiez: Avaliação da viabilidade populacional de espécies, planos de proteção, técnicas de facilitação e de resolução de conflitos, e muita motivação para “abraçar uma causa”.

Veja vídeos:  Tatú-bolaporco monteiro, etc.

premio-claudia-2002

Os encontros com Suzana Pádua, logo no início do mestrado foi uma super injeção de otimismo. A Educação Ambiental vivenciada, participativa, e uma avaliação correta dos resultados. Também nos fez conectar o caminho na Educação Ambiental ao autoconhecimento. Muitíssimo interessante te ouvir, e perceber a interação que conseguimos na nossa turma 3. Também, o papo da pizza, e claro, as boas risadas. Valeu professora Suzana!

“Doutora em desenvolvimento sustentável pela Universidade de Brasília e Mestre em educação ambiental pela Universidade da Flórida (EUA). Presidente e uma das fundadoras do IPÊ, participante do WildlifeTrust Alliance no Brasil, fellow Ashoka e líder Avina. Criou e coordenou por três anos, um programa de educação ambiental no Pontal do Paranapanema (SP). Realiza pesquisas em educação ambiental, já publicou diversos trabalhos no Brasil e no exterior e ministra cursos para professores e profissionais de diversos campos de interesse. Ajudou a construir o Centro Brasileiro de Biologia da Conservação (CBBC), centro de capacitação do IPÊ. Recebeu prêmios nacionais e internacionais, como o Prêmio Claudia, em 2002, Prêmio Mulheres mais Influentes do Brasil pela Forbes, Jornal do Brasil e Gazeta Mercantil ,em 2005, o Prêmio Ford Motor Company de Conservação Ambiental, em 2006,  Prêmio Empreendedores Sociais do Brasil, em 2009”.

 

Workshop Arapyau Sul da Bahia

arapyau

A Turma Extra Campus III do Mestrado em Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável do IPÊ (Instituto de Estudos Ecológicos) e ESCAS (Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade) participou do Workshop promovido pelo Instituto Arapyau em Serra Grande.

O Workshop teve como objetivo, o planejamento participativo de um programa a ser desenvolvido no Sul da Bahia com o apoio do instituto. Participaram do evento, alem dos mestrandos do IPÊ-ESCAS-Bahia, lideranças regionais e a comunidade de Serra Grande

 

Jorge Chiapetti

DSC03855

tiago-cabruca

paulo-branco-ipê-escaspaulo branco, mauricio pain e paulo paiva

Super conhecimentos de Paulo Branco nos trouxe uma experiência extraordinária em nosso Extra Campus de Serra Grande, em Uruçuca, no Sul da Bahia. Na foto à esquerda, os mestrandos Turma III, advogado Maurício Paim (Odebrechet), e à direita Paulo Paiva (Eco Estúdio Comunicação). No centro, nosso ilustre professor.

zeze-ipe

Atualização sobre o Código Florestal, por Zezé Zachia. AQUI

DSC09999

sônia-seger-ipê-serra-grande

Sonia Seger Pereira Mercedes – Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Viçosa (1988), mestrado em Engenharia Civil e Ambiental pela Universidade Federal de Campina Grande (1993) e doutorado em Interunidades em Energia pela Universidade de São Paulo (2002). Tem atuado na área interdisciplinar de Energia, com ênfase no estudo da organização da produção e distribuição da energia na Sociedade.

Currículo Vitae AQUI

Ninguém pode sair o mesmo, depois de ver o mundo pela lente do consumo e demanda de energia. Excelente!

Capturar LIXO 01 LIXO 02 Map_main_shipping_routes

Daniel Caixeta: Economia Ecológica

daniel-caixeta

Os dilemas da economia. A clássica, que move o mundo e domina o sistema, e a ecológica, que tenta interagir com os valores da natureza, e uma visão estratégica de futuro. O Daniel é o sujeito “bem professor”, super acadêmico, e reforçou  muito as teorias econômicas para nos mostrar os desafios do mundo contemporâneo.  Mais  um encontro incrível em nossa Serra Grande. Valeu Caixeta!

Graduação em Economia pela Universidade Federal de São João del Rei (2004), mestrado em Economia pela Universidade Federal de Uberlândia (2006) e Doutorado em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas (2010). Atualmente é Professor Adjunto do Instituto de Economia da Universidade Federal de Uberlândia (IEUFU) e Professor Permanente do seu Programa de Pós-Graduação em Economia . Atua na área de Economia dos Recursos Naturais, com ênfase em Economia Ecológica e seu interesse recai principalmente nos seguintes temas: aspectos teóricos e metodológicos da Economia Ecológica; novos métodos de valoração de bens e serviços ambientais; mecanismos de Pagamento por Serviços Ecossistêmicos; interações dinâmicas entre os sistemas econômico, social, físico e biológico; desenvolvimento/crescimento econômico e sustentabilidade; e arranjos institucionais para a sustentabilidade.

“Reflexões sobre o futuro do financiamento ambiental”

aula prof Manoel Serrao 006

Ficamos todos muito impressionados. Uma aula de mecanismos financeiros para conservação com quem está fazendo a roda girar é muito bom. Nada como aprender com quem faz acontecer. Obrigado Serrão pelo “acordão” que entender o nó, e as alternativas de empreender na conservação.

DSC09360

Uma viagem no tempo entre 4,5 bilhões de anos até onde estamos, e para onde estamos indo. O papo tranquilo, cordial e sincero de José Augusto foi a companhia perfeita para refletir um tema tão amplo, e que nos exige um olhar profundo. Conhecer a história cósmica, da terra, da natureza e do homem na busca o conhecimento de sua própria história. A turma agradece de coração.

Leia a Entrevista “Terra de Oportunidades” da Revista de História.

maria-da-conceição-moraes-ipê

Maria da Conceição Morais defendeu o produto: “O turismo cooperativo como instrumento para viabilização econômica e conservação das RPPNs no município de Ilhéus-BA.

maria-moraes-ipe-escas

Banca composta por Zysman Neiman, Suzana Padua e Andrea Rabinovici.

 

Ana Claudia Fandi defendeu o produto “Modelo de apoio de ONGs transnacionais e os caminhos do ambientalismo brasileiro: o caso do Instituto de Estudos Socioambientais do Sul da Bahia (IESB)” — em IPE Instituto de Pesquisas Ecológicas.

ana claudia fandi ambiental ANA-CLAUDIA-FANDI

Marco Aurélio Souza Silva da Turma II BAHIA defendeu o trabalho “Análise de uma Proposta do Manejo de Sombra em Áreas de Cabruca” no Campus do Instituto de Pesquisas Ecológicas em São Paulo.

marco-aurelio-meio-ambienteMarco-aurélio-souza

O Sul da Bahia é tão antigo quanto o Brasil, e salvaguarda tesouros do patrimônio natural e cultural da nação. Por detrás de suas belas paisagens, ainda existe miséria, resultado da perseguição histórica aos nativos, concentração de poder e riquezas, da crise do cacau e outros descaminhos.
Ainda assim, esse é um lugar raro para os dias de hoje, onde se tem a oportunidade de qualificar um modelo de desenvolvimento autêntico – social, cultural, economico, ecológico, tecnológico. Temos um grande campo de vocações e potencialidades para grandes realizações, e podemos evitar a repetição de erros e as práticas que deixaram um rastro de degradação socioambiental em outras regiões.
Trata-se de um trêcho especialíssimo da Mata Atlântica, diferente de todos os outros da costa atlântica, onde, mesmo depois de séculos de exploração, ainda se tem encontrado dezenas de novas espécies da fauna e da flora desconhecidas da ciência, e registrado recordes de biodiversidade. Nessa aspecto, esse pequeno trecho de litoral tem importância global, vocação de pouquíssimas regiões do planeta, e que deve ser encarada como uma vantagem comparativa para o sul da Bahia do século XXI.
Um olhar cuidadoso para essa região requer um planejamento de ocupação referenciada pelo território integrado, bioma/ecossistemas e bacias hidrográficas, e isto exige uma legislação ambiental diferenciada, específica, no nível estadual e em cada um dos municípios do território. A matemática da conservação da biodiversidade regional também nos orienta a estabelecer uma rede de RPPN´s, Parques e APA´s, e maiores exigências de contrapartidas de áreas florestais para todos os emprendimentos.
Esperamos um crescimento responsável, e que respeite a identidade desse delicado sul da Bahia, protegendo esse tesouro, e encontrando estratégias de promover a inclusão e melhoria da qualidade de vida das comunidade tradicionais rurais, ribeirinhas, indígenas, quilômbolas e pesqueiras, que são as primeiras a pagar a conta pela degradação e pelos processos de aculturação de uma região.
Precisamos de responsabilidade e auto-estima para tomarmos decisões estratégicas refletindo a nossa vocação com soberania, dissernimento e inteligência, e escolhendo o que nos convêm à coletividade, não apenas para amanhã, mas para a década, o século e o futuro.
Uma imagem vale mais que mil palavras, então ficam mais de 10.000 “Vale-reflexões” nas extraordinárias fotografias de Fábio Coppola, Castilho, José Nazal, Cid Povoas e Paulo Paiva.

As lições do IPÊ e Havaianas…

havaiana-ipe

A coisa mais importante desse mestrado é que, por mais que a gente leia, estude, viaje nas teorias, e seja capacitado para o mais elevado nível profissional, o tempo todo estamos com os pés no chão, enxergando a prática da conservação, a luta, a causa e os cenários reais. Todos os professores têm passado para nós, não apenas conhecimento, mas vivência, experiência e, sobretudo, amor a causa. O IPÊ é uma grande inspiração de Cláudio Pádua e mais de 60 parceiros diretos, e tantos outros indiretos. O que vemos é uma instituição inovadora, criativa e que tem uma bela história para contar, como a história da Havaianas IPÊ, que reverte uma percentagem das vendas para projetos de conservação da biodiversidade.


haviana-ipe-nazaré

O que representa Serra Grande? Uruçuca, Itacaré, Una, Santa Luzia, Camacan e a emergente região metropolitana de Ilhéus? Que terra é essa que chamamos Região Cacaueira, Sul da Bahia. O que ela trás, motiva e encerra?

DSC08350

Aos poucos, a turma IPÊ/ESCAS/Sul da Bahia vai se aproximando do Campus do Instituto de Pesquisas Ecológicas em São Paulo.  Cursos, defesas, projetos e um espaço de bem com a vida nos atrai a Nazaré Paulista.

campus-nazaré-paulista

akine-valeriaarchangelo-salvador

Aline Valéria Archangelo Salvador defendeu a tese de um Manual Prático de Licenciamento Ambiental – 28/02. Na banca, Zezé Zachia, Claudio Padua e Juliana Santini.

aline-ipe-escas

Reinaldo Martins Lemos trouxe o tema “A eficácia da aplicação da lei de crimes ambientais para a proteção do meio ambiente no litoral sul da Bahia” – 28/02.

reinaldo-martins-lemos

Na banca, Zezé Zachia, Alexandre Uezu e Claudio Padua. 28/02.

zezé zachia

Dia 18 de fevereiro, a ESCAS realizou duas defesas de seu Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável, com alunas do sul da Bahia. Presentes na banca, a presidente do IPÊ, educadora ambiental e doutora em desenvolvimento sustentável Suzana Padua, o doutor em psicologia Zysman Neiman e a doutora em Ambiente e Sociedade Adriana Rabinovici.

Maria Conceição Morais defendeu o produto: Maria da Conceição Morais defendeu o produto: “O turismo cooperativo como instrumento para viabilização econômica e conservação das RPPNs no município de Ilhéus-BA. O trabalho mostra as dificuldades que as RPPNs enfrentam com sua manutenção, e o que tem sido feito no ecoturismo regional. Também propõe a possibilidade de uma parceria entre os atores locais como cooperativas, organizações de financiamento, instituições de capacitação e as RPPNs para fomentar o turismo cooperativo como instrumento de viabilização para a sustentabilidade econômica das reservas.

Já Ana Claudia Fandi defendeu o produto: “Modelo de apoio de ONGs transnacionais e os caminhos do ambientalismo brasileiro: o caso do Instituto de Estudos Socioambientais do Sul da Bahia (IESB)”. O trabalho se propôs a refletir, por meio do estudo de caso do IESB, sobre a sustentabilidade organizacional de ONGs brasileiras, a partir de apoio de ONGs transnacionais. A metodologia utilizada consistiu em pesquisa exploratória-qualitativa, por meio de um único estudo de caso da ONG IESB, com a utilização de questionários, entrevistas e análise documental.

O Mestrado Profissional da ESCAS no sul da Bahia tem apoio da Fibria e parceria com o Instituto Arapyaú. www.escas.org.br

CRONOGRAMA DE DEFESAS

DATA/HORA ALUNO TÍTULO ORIENTADOR BANCA INTERNA BANCA EXTERNA SUPLENTE INTERNO  Convidado ou Suplente Externo

19/2/2013 às 09h00

Maria Conceição de Morais

O TURISMO COOPERATIVO COMO INSTRUMENTO PARA A VIABILIZAÇÃO ECONÔMICA E CONSERVAÇÃO DAS RPPNs NO MUNICÍPIO DE ILHÉUS-BA

Suzana Machado Padua

Zysman Neiman

Andrea Rabinovici

Cristiana Saddy Martins

Marlene Tabanez

19/2/2013 às 13:30

Ana Claudia Fandi

MODELO DE APOIO DE ORGANIZAÇÕES NÃO-GOVERNAMENTAIS TRANSNACIONAIS E OS CAMINHOS DO AMBIENTALISMO BRASILEIRO: O CASO DO INSTITUTO DE ESTUDOS SOCIOAMBIENTAIS DO SUL DA BAHIA (IESB)

Suzana Machado Padua

Zysman Neiman

Andrea Rabinovici

Angela Pellin

Marlene Tabanez

28/2/2013 ás 9:00

Reinaldo Martins Lemos

A EFICÁCIA DA APLICAÇÃO DA LEI DE CRIMES AMBIENTAIS PARA A PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE NO LITORAL SUL DA BAHIA

Alexandre Uezu

Claudio Benedito Valladares Padua

Maria José Zakia

Angela Pellin

Juliana Santilli

28/2/2013   às 13:30h

Aline Valéria Archangelo Salvador

MANUAL PRÁTICO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

Claudio Benedito Valladares Padua

Juliana Santilli

Maria José Zakia

Suzana Machado Padua

Evandro Mateus Moretto

1/3/2013 às 9:30

Rones Flasgordes dos Santos Souza

AVALIAÇÃO DAS ESPÉCIES ARBÓREAS NATIVAS DA MATA ATLÂNTICA UTILIZADAS EM RESTAURAÇÃO FLORESTAL NO SUL DA BAHIA

Laury Cullen Jr

Alexandre Uezu

Jorge Chiapetti

Eduardo Humberto Ditt

Daniel Piotto

1/3/2013 às 13:30

Walter Lima de Sousa

DIAGNOSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL E PROPOSTAS DE AÇÕES PARA MANEJO AGROFLORESTAL DE LONGO PRAZO NAS COMUNIDADES QUE VIVEM NO ENTORNO DE ÀREAS DE PLANTAÇÕES DE EUCALIPTO NOS MUNICÍPIOS DE CONCEIÇÃO  DA BARRA E SÃO MATEUS NO NORTE DO ESPÍRITO SANTO.

Laury Cullen Jr

Eduardo Ditt

Paulo Kageyama

Suzana Machado Padua

Renata Evangelista

Caso queiram assistir a alguma delas, basta avisar para providenciarmos a quantidade adequada de cadeiras.

ECOINFRA
Licenciamento e Gestão Ambiental em Obras de Infraestrutura
12 de março de 2013 – Novotel Morumbi – São Paulo – SP

ImageProxy

Conheça os projetos com foco em licenciamento e
gestão ambiental que apresentaremos nesta edição:
*Para acessar a programação completa faça o download

simone nogueiraeneo palazzi marcelo arreguy mmx rederesíduo sanepar

ImageProxy (1)

“Um seminário deste porte desencadeia nos profissionais a reflexão de como devemos processar o licenciamento de um projeto, atenuando para a responsabilidade e segurança que nos é exigido”
N.M. Serpal Engenharia e Construção

Participação de grandes nomes do direito ambiental brasileiro. Estavam todos focados em oportunizar aos presentes discussões práticas com o objetivo de apoiar as empresas nesta difícil tarefa que é licenciar ambientalmente grandes empreendimentos de infraestrutura.”
A.S. Azevedo Sette Advogados

“Conferência composta por um quadro pessoal qualificado e de alto padrão”
E.S. Prefeitura Municipal de São Gonçalo

A História das Coisas